sábado, 9 de janeiro de 2016

«como quem sonha»


Outrora marca dum beijo;
Hoje, sombra da saudade...
É no excesso do desejo,
Que se dissolve a vontade.

A saudade esmorecida, 
no teu sentir e no meu;
Como quem sonha na vida,
outra vida que viveu.

No declínio da fonte,
ter sede, é não ter cuidado;
baloiçar no horizonte,

é um risco mal calculado...
Hiato entre o vale e o monte
era um silêncio magoado.

Joana D'Arc

Sem comentários:

Enviar um comentário

FINGUIM ROOF

FINGUIM ROOF
VISEU